no

Como é sua vida fora das redes sociais?

Você já percebeu que a vida da maioria das pessoas na internet parece ser uma vida exemplar?

Uma vida registrada através de sorrisos, cabelos alinhados, dentes perfeitos, viagens, relacionamentos saudáveis (parecendo até amores dignos de filmes em Hollywood!).

Mas será realmente que por trás dos bastidores é assim tudo perfeito? Ao passo em que postamos uma foto estilo capa de revista, estamos deitados na cama de pijama ou sem, com os cabelos totalmente desarrumados, olheiras intermináveis, afazeres domésticos e um bafo de onça daqueles. (Risos).

E se tudo aquilo que vivenciamos no dia a dia fosse televisionado 24 horas por dia para o mundo inteiro?

As máscaras iriam cair, veríamos que aquele ídolo que seguimos na internet nem é tão bonito assim, tem brigas com a namorada ou com a família. Tem necessidades pessoais, tem mau hálito quando acorda… teríamos um choque de realidade. Não nos obrigaríamos a ter uma vidinha tão perfeita, um relacionamento exemplar, moldados pelos padrões da sociedad , pela ditadura da moda, do consumismo e da beleza.

Uma falsa sociedade perfeita. Você DEVE fazer isso, DEVE fazer aquilo, DEVE se vestir assim, DEVE ter o cabelo assim, DEVE ser envelopado, DEVE ser perfeito.Segundo a saudosa Louise Hay (famosa escritora e palestrante americana que impactou milhares de pessoas no mundo através de seu livro em especial “ Você pode curar a sua vida”) dizia que a palavra DEVO teria que ser extinta do vocabulário, pois gera um sentimento de obrigação, um sentimento de falta quando não conseguimos fazer, gerando sentimentos nocivos para a nossa vida e saúde física e mental, o que causa doenças a curto, médio e longo prazo. Acredito muito nisso.

E acredito também que, dessa forma artificial e mecânica em que vivemos, acabamos por acreditar que aquilo tudo o que vemos nas redes sociais é uma vida exemplar, e por mais que lutemos por ter esse padrão ilusório de “ vida perfeita”, não conseguimos.

Sabe por quê? Porque vivemos em uma Matrix. Onde tudo é esquematicamente organizado para funcionar assim. Vivemos uma ilusão? Pode acreditar que sim.

Principalmente regulada pela internet. A vida é a que acontece fora dos palcos e dos holofotes. É claro que todos nós temos direito aos palcos. O sol nasceu para todos. Mas não vivemos 24 horas pisando em um palco.

A única realidade existente é o aqui e o agora. Conecte-se com o momento presente. O passado não podemos mudar e o futuro depende daquilo que fazemos agora. Mas ele também ainda não existe. A única coisa que existe é o AGORA.

Portanto, abrace mais, diga às pessoas que realmente são importantes, o quanto você as ama. Amanhã elas podem não estar mais aqui. Nem você. O futuro é uma incógnita. Mas se você o construir no momento presente, com pensamentos grandiosos de amor voltados para a evolução e crescimento não só de si mesmo, mas da sociedade, sua vida terá muito mais sentido e significado.

Isso é o que eu chamo de verdadeira felicidade, pois quando temos a intenção de deixar a nossa marca no mundo, somos muito maiores e inesquecíveis, deixando um legado à humanidade.

O grandes mestres do passado já sabiam disso. Tudo já existe no mundo. Aquilo que você mais puser seu foco há de se expandir. Foque na dor e terá mais dor, foque na alegria e terá mais dela.Assim funciona a Lei da Atração… que não é apenas ter pensamentos positivos, mas sim pensar, sentir e agir positivo. Ela funciona, acreditando você ou não nela. É uma lei universal, da ciência e da natureza. E nada tem a ver com religião, com segregação ou com rótulos, e sim com conexão espiritual. Tem a ver com espiritualidade e vibração energética, o que é bem diferente. Cria-se um campo eletromagnético à sua volta que atrairá pessoas e circunstâncias na mesma frequência.

O universo/Deus é abundante (experimente contar as estrelas) e como somos filhos do universo, somos plenitude em essência.

A abundância é nosso direito divino. (mas deixo esse papo mais à fundo para o livro que estou escrevendo).

Não baseie a sua vida pautado nesse modelo de perfeição olhando para o seu bastidor, querendo comparar com a vida “perfeita” de seu ídolo ou pop star. Ou melhor, não compare seus bastidores com o palco alheio.

Quando despertaremos para a realidade? Quando sairemos dessa “Matrix”?

Vivemos anestesiados pelas redes sociais, pela televisão ou pela mídia e fazemos sempre as mesmas coisas no automático, como se estivéssemos em estado de hipnose o tempo inteiro.

Não olhamos para o que acontece na vida real. Sempre saindo do momento presente, atraídos pelo “bip” das notificações do celular que nos aprisionam nesta mesma realidade virtual.